Convocatória

Imagem

 

FEDERAÇÃO DO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE HISTÓRIA
 
CONVOCATÓRIA
 
 
Convocamos a todos e todas para a Reunião Aberta On-line, a ser realizada neste domingo, às 19h, no horário de Brasília (18h em alguns Estados que não aderiram ao horário de verão), via Skype, conforme proposição anterior discutida no Grupo da Femeh no Facebook e na lista de e-mails femehnacional@yahoogrupos.com.br
 
O objetivo desta reunião é, novamente, de avaliar as condições e construir a realização do CONEHI em Recife-PE, convocado para os 14, 15 e 16 de dezembro. E tem sido discutida nas listas de e-mail e redes sociais a possibilidade de realização do CONEHI paralelamente ao CONEB, bem como a necessidade de se garantir a legitimidade das instâncias de decisão bem como suas condições concretas de realização.
 
Lembrem-se de, uma hora antes da reunião, testar o funcionamento de microfones, autofalantes, e de seu…

Ver o post original 29 mais palavras

Anúncios

Domingo, 11 de novembro de 2012, vamos escrachar José Maria Marin!

Domingo, 11/11 de 2012
Concentração às 14h, no MASP

José Maria Marin é hoje presidente da CBF e da COL, Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014. Mas poucos sabem que é também apontado como um dos responsáveis pela morte de Vladimir Herzog, então diretor de Jornalismo da TV Cultura, cruelmente torturado e morto nas dependências do DOI-CODI em São Paulo, aparelho do Estado responsável pela pela repressão e pela tortura de incontáveis brasileiros que lutaram contra o Regime Militar.

José Maria Marin, naquele momento deputado estadual pela ARENA, não gostava do viés jornalístico da TV Cultura, que não dava tanta importância a inaugurações da Ditadura e noticiava misérias do nosso povo, disseminando “intranquilidade” em São Paulo, conforme reprodução do seu discurso no Diário Oficial, 16 dias antes de Vlado ser “suicidado pela Ditadura”.

José Maria Marin, que viria a ser vice-governador biônico de Paulo Maluf, tendo o substituído por um ano, dias antes já declarava, também na Assembleia Legislativa de São Paulo, que devia ser reconhecido o grande serviço que Sérgio Paranhos Fleury “e sua equipe” ofereciam ao Brasil. Fleury chefiou durante anos o DOPS, Departamento Estadual de Ordem Política e Social, responsável pela tortura, assassinato e ocultação de cadáveres de milhares de pessoas que ousaram lutar contra a Ditadura.

Neste domingo, 11 de novembro de 2012, às 14h, nos reuniremos no vão do MASP, na Avenida Paulista, para declararmos que não esqueceremos dos crimes da Ditadura Militar cometidos contra a população brasileira!

Não admitimos que, até hoje, as circunstâncias que levaram a morte de Vladimir Herzog não tenham sido completamente esclarecidas e seus responsáveis não tenham sido punidos!

Não consentiremos que homens dessa estirpe continuem a gozar de tal influência no governo a na sociedade!

A sociedade não tolera a impunidade, privilégio ofertado a homens como José Maria Marin!

Neste domingo, 11 de novembro de 2012,
vamos escrachar José Maria Marin!

ARTICULAÇÃO ESTADUAL PELA MEMÓRIA, VERDADE E JUSTIÇA DE SÃO PAULO

http://pelaverdadeejustica.wordpress.com/

Seguiremos construindo a FEMEH!

Fonte: Blog da FEMEH
10 de outubro de 2012

Desde sua fundação, há vinte e cincos anos, a Federação do Movimento Estudantil de História (FEMEH) congrega, nacionalmente, estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos, constituindo-se um espaço importante de organização. O intercâmbio de informações, promovido pelos Encontros, Seminários, Atos e atividades, entre as diferentes realidades do curso de história, permite que nossos debates sejam ricos e aumenta a nossa capacidade de mobilização. A FEMEH, além de reunir CAs e DAs, tem o papel de tocar as políticas e bandeiras que são debatidas e defendidas pelos estudantes. Ajuda também, a criar novos centros e diretórios acadêmicos e fortalecer os antigos. A Federação tem ainda Coordenação Nacional, Coordenações Regionais e Secretarias Estaduais, eleitas nas Plenárias Finais dos Encontros.

O ME de história vem adotando uma postura insensata com a FEMEH, deixando que poucas escolas assumam o papel de organizar e manter a Federação. Todos nós precisamos ter em mente que construir a Federação não é apenas papel da CN, é de todos que vislumbram o movimento estudantil como um dos instrumentos de pressão social. Todos os CA’s e DA’s devem garantir a representatividade da FEMEH nas Universidades e Faculdades brasileiras, e que os debates da Federação não ocorram apenas nos encontros nacionais e regionais.

Para dar continuidade às bandeiras da nossa Federação, no ENEH de 2012, ocorrido em Guarulhos – SP, nós da UFBA (Universidade Federal da Bahia), da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) e da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) anunciamos candidatura para ser CN nos próximos dois anos. Democraticamente, na plenária final do Encontro, fomos eleitos.

Com o quadro firmado no ENEH de 2012, nós das três escolas, acabamos por assumir mais uma responsabilidade de grande relevância, pois assim continuaremos a tocar as pautas da nossa federação, como a Abertura dos Arquivos da Ditadura, e a luta pela memória e justiça do período; a indissociabilidade do Bacharelado e Licenciatura; Regulamentação do Ofício do Historiador; e acumularemos algumas discussões que ainda são pouco aprofundadas, como a Reestruturação do Currículo, a Extensão Universitária e sobre como o uso de drogas é encarado na nossa legislação – lembrando que o uso de psicoativos tem se mostrado recorrente nos Encontros, e que o ENEH desse ano aprovou, em plenária final, a criação do GT de drogas.

Nós, estudantes de história organizados na FEMEH, temos a tarefa de discutir e de construir o curso e o projeto de universidade que queremos! Uma Universidade heterogênea, crítica e com diálogo real com a sociedade. Uma Universidade que esteja a serviço do povo! Vamos militar juntos para que o Movimento Estudantil de História tenham cada vez mais expressão na sociedade.

Tod@s estão convidados a construir a FEMEH conosco!

Coordenação Nacional da Federação do Movimento Estudantil de História (CN-FEMEH)
Centros acadêmicos de História da UFBA, UNIFESP e UFRGS