Ata do CR-DCE do dia 02 de Fevereiro de 2013

Ata do CR-DCE do dia 02 de Fevereiro de 2013, início as 14h30, na sede do DCE da UNIFESP.

Aos dois dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e treze, reúnem-se as entidades oficiais dos estudantes da UNIFESP na sede oficial do DCE UNIFESP, estando presentes as seguintes entidades:

  • CAAB – Centro Acadêmico Ana Bretãs – São Paulo
  • CAPB – Centro Acadêmico Pereira Barreto – São Paulo
  • CALP – Centro Acadêmico Leal Prado – São Paulo
  • CAF – Centro Acadêmico dos Estudantes de Fonoaudiologia – São Paulo
  • CAHIS – Centro Acadêmico dos Estudantes de História – Guarulhos
  • CAEL – Centro Acadêmico dos Estudantes de Letras – Guarulhos
  • CAPED – Centro Acadêmico dos Estudantes de Pedagogia – Guarulhos
  • CAUEQ – Centro Acadêmico dos Estudantes de Engenharia Química – Diadema
  • AAAUG – Associação Atlética Acadêmica UNIFESP Guarulhos
  • DCE – Diretório Central de Estudantes da UNIFESP

A reunião começou com uma rodada de apresentação dos presentes, seguida de uma rodada de informes

O primeiro campus a dar informes foi o de São Paulo, aonde foi descrita as discussões já feitas acerca da calourada no campus. Na recepção dos novos calouros serão realizados um tour pelo campus São Paulo, apresentação dos Centros Acadêmicos e Pedágio, entre outras atividades. Daí então, na recepção propriamente dita dos calouros, construída em conjunto com as apresentações dos departamentos e da instituição, as entidades estudantis terão espaços novamente para apresentações aos calouros, apresentação do Coral da UNIFESP, das Pró-Reitorias, etc. Entre algumas atividades e dias da semana existirão espaços livres que os Centros Acadêmicos e a AAAPB utilizarão para atividades de integração. Na sexta-feira (15/02) existirá a proposta a ser levada para os CA’s e Atlética do campus de uma discussão acerca da Função Social da Universidade, abordando temáticas que versem sobre Extensão Universitária, Saúde Pública(SUS, EBSERH, etc), Opressões (Racismo/cotas, Homofobia, Machismo, Xenofobia, etc) como proposta inicial.

Em seguida, o campus a passar informes foi o de Guarulhos, e foram colocadas a intervenção na matrícula dos calouros, que foram recepcionados sem nenhum incidente de abuso por parte de algum veterano. Outro informe foi acerca das eleições para Diretor Acadêmico do Campus, aonde duas chapas se inscreveram: uma encabeçada por Daniel Vasquez (C. Sociais) e Marineide Gomes (Pedagogia), mais outra composta por Cynthia Sarti (C. Sociais) e Arlenice (Filosofia). As eleições serão um momento interessante para levantar debates sobre a participação estudantil e paridade dentro da Universidade. Outro ponto levantado, foi acerca da situação dos Centros Acadêmicos do campus, que na ativa, são 4 (Pedagogia, História, História da Arte e de Letras) e dos quais dois – o de pedagogia, CAPED e o de história, CAHIS – passarão por eleições no próximo período. Um último informe foi sobre a situação do Espaço do C.A. do campus que está fechado desde o incidente com o estudante Luiz Carlos. A direção acadêmica do campus em reunião propôs que o espaço fosse administrado por uma Diretório Acadêmico ou por alguma entidade com CNPJ. Até o momento as propostas não foram discutidas formalmente, o Coletivo do C.A. que administra o espaço atualmente chamará uma reunião em breve para que os estudantes encaminhem uma resposta ou nova proposta a Direção Acadêmica quanto os rumos do espaço.

Em seguida, foram colocados os informes sobre o campus Diadema, aonde foi apontada que nas próximas semanas os Centros Acadêmicos, a Atlética, e representantes do DCE já estavam se organizando pra começar a discutir a calourada, que ainda não tinha um plano muito avançado, dado que a calourada será apenas em Maio e no campus, o NAE e as entidades estudantis já tem uma tradição de construir a calourada de outros anos, garantindo que assim o trabalho seja mais prático. Outros informes levantados foram quanto a situação do restaurante universitário que tem previsão de ser reaberto após mais de um ano fechado, ocupação durante a greve e agora com prazo, segundo a direção acadêmica, de reabertura no mês de abril. Outro ponto ainda foi a questão da moradia, que já está com o terreno para construção e expansão do campus praticamente garantido, e no projeto previsão para a construção de uma moradia dentro e/ou próxima do campus.

O último campus a fazer informes foi o da Baixada Santista, que relatou atividades de sucesso realizadas recentemente no campus, como o debate sobre a visibilidade trans e a conquista da garantia de intervenções artístico-políticas em espaços do campus, após a tentativa de suprimi-las por parte da comunidade do campus. Para o próximo período no campus, está prevista a realização do fórum a respeito da reorganização do Movimento Estudantil, dentro do campus, da universidade e num aspectos mais geral quanto a reorganização nacional do Movimento Estudantil também.

Por fim, foi feito um informe sobre as eleições para os conselhos centrais (CONSU(universitário), CAE(assuntos estudantis), CG(graduação), CC(curador), CE(extensão)), conselhos de campus e congregações. A ideia é que o assunto seja pautado nos campus e nas próximas reuniões do cr-dce para criar espaços de discussão sobre a participação dos estudantes nesses conselhos, que esse ano tem novas eleições para todas as categorias também. Novamente, é um tema muito caro e pertinente para que se paute a questão da participação estudantil, paridade, estrutura de poder e democracia na universidade.

Após o término dos informes, entramos então no ponto de pauta da reunião, sobre a calourada unificada.

Foi colocado que era preciso relembrar a importância da realização de uma calourada unificada na UNIFESP, pensando em experiências anteriores e de outras universidades. Na UNIFESP temos uma realidade muito complicada, uma expansão precarizada, que fragmenta o conjunto dos estudantes, criando uma identidade estudantil de individualização – e estigmatização – dos campus. Em 2012 houve um esforço para a construção de uma calourada que articulava todos os calendários da calouradas nos campus, e por fim propunha um encontro na Escola Nacional Florestan Fernandes – com representações de calouros de vários campus. O tal encontro não ocorreu devido a greve, mas segundo diversas intervenções, a calourada de 2012, organizada pelo cr-dce quando o DCE ainda estava sem gestão, permitiu uma inserção de discussão e politização muito boa, garantindo também uma integração entre os campi, superficial, mas abrindo precedentes para durante todo o ano, greve, tocar discussões intercampi. É preciso que os estudantes veteranos se dediquem a construção de uma calourada muito bem organizada, pois é um período, que os calouros estão super abertos a conhecer a universidade, e assim estão abertos também as diversas discussões levantadas na calourada.

Foi ressaltada a necessidade de tomar cuidado com a quantidade de atividades para não assediar demais os estudantes, ao ponto que esses ao invés de se aproximar, acabem se afastando do Movimento Estudantil. No caso da saída dos estudantes para encontros fora da UNIFESP, propôs-se que seja planejada conjuntamente, mas que sejam feitas várias saídas e separadamente, para garantir um maior número de estudantes participando. Nesse sentido foram encaminhados alguns pontos, dado que a calourada ainda está distante para a maior parte dos campi (no período de 02-07 de Maio em Diadema, Baixada, SJC e Osasco e no início de Junho em Guarulhos) são encaminhamentos gerais, para serem discutidos e encaminhados com o conjunto dos CA’s, Atléticas e representantes do DCE nos respectivos campi e rediscutidos no próximo CR-DCE para articulação das calouradas. Com a exceção do campus São Paulo que tem a calourada já prevista para o mês de Março, e aalgumas atividades e encaminhados serão planejadas para já, são:

– procurar contato de locais para a saída: ENFF, Assentamento Milton Santos, Flaskô, E.M. Amorin Lima, etc;

– Debates intercalados com outras atividades de integração; debates sobre a função social da universidade, da ciência, etc; debates sobre cotas/racismo – proposta de metodologia para os debates: Mesa inicial com explanação geral sobre Movimento Estudantil e separação em Grupos de discussões(GD’s) que versem sobre temas transversais ao apresentado na mesa inicial e sejam mais próximo à temática do campus (Saúde, Humanidades, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, etc) obs: garantir espaços para a discussão da questão indígena, pouco abordada em muitos espaços do Movimento Estudantil.

– Elaboração de panfleto sobre cotas nas universidades e sobre machismo; Que ambos sejam enviados as entidades estudantis para serem assinados unificadamente.

– Produção dos Manuais dos Calouros nos campi, com colaboração do DCE, CA’s, Atléticas e demais entidades estudantis dos respectivos campi. No texto do DCE, os eixos serão: Breve Histórico da UNIFESP, Histórico do ME da UNIFESP, Permanência Estudantil e chamamento para construção e participação dos processos do Congresso Estudantil. Data indicada para o próximo CR-DCE: 16/03/2013

Sem mais, a reunião encerra-se às 18h 45.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s