Posicionamento sobre os últimos acontecimentos na USP

Abaixo uma carta produzida pela gestão “Levanta que lá vem História” do Centro Acadêmico de História da Unifesp sobre os últimos acontecimentos na USP em decorrência da mobilização estudantil em oposição ao convênio entre a Universidade e a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Além disso, parabenizamos todo/as aquele/as que reconheceram a gravidade da situação, realizaram uma das maiores assembleias estudantis dos últimos anos, e então declararam greve.

Posicionamento do Cahis Unifesp sobre os últimos acontecimentos na USP

Os últimos acontecimentos envolvendo estudantes da Universidade de São Paulo e policiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo foram deploráveis e mostram que o problema dentro da USP, no particular, e do Ensino Público, no geral, são problemas estruturais e extremamente preocupantes.

O estopim, como a mídia burguesa não cansa de noticiar nas suas páginas da internet e impressas, foi a abordagem e prisão de três estudantes que utilizavam maconha nos arredores da FFLCH. Após essa abordagem, outros estudantes se reuniram para protestar e tentar impedir que os três estudantes fossem presos pelo uso da droga – que segundo A Lei 11.343/06 seu uso não é mais considerado como crime.

O que está em jogo aqui não é a questão de que “os estudantes querem usar drogas sem sofrer repressão por parte da polícia” como se cansou de noticiar. A tomada de posição dos estudantes perante tais acontecimentos é uma resposta clara e objetiva a uma reitoria que não tem respaldo democrático algum e que vem implantando um processo de privatização em vários setores da universidade. Para além disso, é uma importante resposta a um governo de atitudes direitistas, que nomeou a atual reitoria da USP para que seus fins ideológicos, notadamente ligados ao capital privado e ao lucro, possam sair do papel.

A resposta dos estudantes da USP é um questionamento às arbitrariedades que estabelecem como solução dos problemas de segurança pública da Cidade Universitária apenas dar carta branca a polícia militar, visivelmente despreparada, atuar dentro do campus. Essa polícia militar que não tem preparo algum para garantir a segurança pública da sociedade tomou como ponto principal de suas ações atuar flagrantes em estudantes que portem algum tipo de substância ilícita. Seria esse o problema da segurança dentro da Cidade Universitária?

A Polícia Militar não é sinônimo de segurança pública, como é possível observar nas periferias, de norte a sul, de leste a oeste da cidade e o Estado. A Reitoria não discute a implantação de uma melhoria na iluminação pública, que está notavelmente defasada e é, comprovadamente, um dos principais causadores dos crimes ocorridos dentro do Campus. Muito menos se discute a apropriação dos espaços da Universidade, que tem uma densidade ocupacional muito baixa, deixando inúmeros lugares inabitados durante uma grande parte do dia. Todos esses pontos foram ressaltados pela professora Raquel Rolnik, da FAU-USP, em um debate realizado dentro da USP. Porém não é interessante ao reitor se atentar a esses diagnósticos embasados. Para a Direita, a militarização das instituições a criminalização de grupos e indivíduos e a consequente repressão sempre foram soluções mágicas de todos os problemas.

Por fim, na madrugada do dia 7 para o dia 8 de novembro, quando haveria a ação da Tropa de Choque para expulsar os alunos que ocuparam o prédio da reitoria, mais uma vez se notou a incrível arbitrariedade e truculência da Polícia, que soltou bombas de gás lacrimogêneo e formou barreiras de policiais para impedir que os moradores do CRUSP saíssem de suas próprias casas. Impedir a liberdade de circulação das pessoas para promover um suposta determinação da lei faz com que as comparações dos acontecimentos últimos com o período ditatorial brasileiro não sejam nenhum absurdo. Absurdo é ver como tudo isso tem sido divulgado pela mídia, que ou é extremamente superficial, burra e mesquinha nas suas avaliações, ou está de fato cumprindo com seu papel de manipular as informações para seus próprios fins pessoais.

Nós do Centro Acadêmico de Historia da Unifesp repudiamos esse comportamento midiático que não faz jus ao papel social da imprensa. Repudiamos o comportamento da Polícia Militar, que reprime antes de entender, seja na Cidade Universitária, seja na periferia paulista ou carioca, ou onde quer que seja pelo país . Repudiamos o Reitor Rodas, que em nenhum momento se preocupou com o dialogo com os estudantes.

Mas a cima de tudo, queremos declarar nosso apoio às/os estudantes que manifestaram-se contrários a todos esses problemas e a tudo isso que vem acontecendo no Ensino público. A tomada de posição que cada estudante da USP teve é importantíssima para mostrar que nenhum tipo de arbitrariedade será tolerada, e sem dúvida foi um enorme sinal para toda a sociedade de que os estudantes estão e sempre estarão em luta!

Anúncios

3 comentários sobre “Posicionamento sobre os últimos acontecimentos na USP

  1. Parabéns CAHIS!
    Parabéns pela análise e pelo questionamento da superficialidade da mídia.
    A questão realmente é muito mais profunda e complexa do que divulga-se nos jornais.

  2. Convenhamos meus caros,que vocês estão lutando por nada,como os próprios dizem os alunos foram presos porque estavam usando drogas e a USP é um lugar para estudos usem drogas fora do campos.Outro posição e quanto a permanencia da policia militar,tente dar uma volta a noite no campos sem a presença da policia à qual diz vocês que não tem preparo pra cuidar da sua segurança e após esta pesquisa por favor me diz oque os nobres amigos viram muito obrigado pela atenção.

  3. Pingback: Abaixo-assinado contra a denúncia criminal à estudantes da USP « CAHIS UNIFESP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s