Apoio à mobilização na UNIFESP Baixada Santista

Manifestamos nosso total apoio à ação dos estudantes da UNIFESP Baixada Santista, paralisados desde o dia 06/10/2010, quarta-feira, depois de receberem mais uma resposta evasiva por parte da Diretoria.

As reivindicações dos estudantes, que são, entre outras: construção de um prédio para o campus, restaurante universitário não-terceirizado, moradia estudantil próximo ao campus, e toda estrutura necessária para uma Universidade.

Falta de salas de aula, bibliotecas improvisadas, falta de acervo, nenhum projeto de que garanta transporte, moradia e saúde aos estudantes. O auxílio permanência, que se propõe garantir a permanência dos estudantes na Universidade é insuficiente – tanto pelo valor do auxílio, como pelo número de bolsas – sem falar do processo, cada vez mais obscuro, de “seleção” dos estudantes.

Estudantes dos campi Guarulhos, Baixada Santista, Diadema, São José dos Campos – e ano que vem também Osasco – sofrem o mesmo processo. Um campus sem estrutura alguma, no máximo a contratação “em cima da hora” de docentes, uma placa de Universidade Federal, e uma visita oficiosa do Presidente da República, para sair “bem” na foto dos jornais é o que ocorre hoje. É isso que os estudantes querem? É isso que cada um que entra na Universidade espera?

Se em Guarulhos, é preciso de salas, bibliotecas e professores, no MÍNIMO; o que dizer dos outros campi onde os estudantes se formam em educação física sem uma quadra, em ciências da computação, com meia dúzia de computadores, e cursos de ciências sem laboratórios?

Todos os novos campi são fruto de um famigerado processo de ampliação das Federais, chamado REUNI – que o governo Lula seguindo fielmente a cartilha do Banco Mundial – se vangloria na propaganda eleitoral. O REUNI, com toda sua formulação pomposa, obscurece o seu real propósito – destruição da Universidade enquanto espaço do livre saber, discussões e pesquisas. Mas isso os estudantes, frutos de tal expansão do REUNI, sentem dia a dia.

“Um exemplo disso é o corte de 6 milhões da verba de assistência estudantil para toda a UNIFESP (constatado no site do Portal da Transparência)!”, diz o MANIFESTO dos estudantes da Baixada.

A falta de transparência da administração, em geral, é de longe insatisfatória, e não promove nada muito além da nossa desconfiança nesse processo.

Na Baixada Santista, estudantes paralisados farão uma Audiência Pública no dia 14, 5ªf, com o Reitor, o Pró Reitor de Assuntos Estudantis e representantes do departamento de engenharia da UNIFESP, para discutir a questão de forma horizontal, cara a cara. Nós, de todos os outros campi podemos apoiar a luta, que se manifesta de forma quase que idêntica em nossos locais de estudos.

A luta é possível!

Os estudantes da Baixada Santista nos mostram o caminho!

Chamamos a todos para discutir e decidir quanto tempo mais aceitaremos isso. A destruição da Universidade está totalmente ligada ao futuro de cada um de nós. Precisaremos chegar à barbárie na universidade, ao desemprego crônico já anunciado pela crise econômica para acordar e mostrar para os verdadeiros responsáveis por esse desmonte que seu projeto chegará ao fim?

 

 

TODOS PARA A ASSEMBLÉIA DOS ESTUDANTES
DE GUARULHOS!

PAUTA: CONJUNTURA DA PERMANÊNCIA ESTUDANTIL

DIA 14/10/2010 18h, no pátio central do campus.

Convocam: CACS, CAEL, CAHIS, CAPED e DCE.
Informações sobre a Audiência Pública da UNIFESP-Baixada Santista e sua PARALISAÇÃO

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s